Edição: Julho
Editorial: Missões

 
18/07/2016

Ore por nossos irmãos iraquianos

Não há previsão para o fim dessa guerra, por isso, a igreja iraquiana precisa se posicionar, mas também precisa de muita ajuda para isso.

Em Bagdá, depois de algumas semanas, foi informado que o número de mortos em um dos ataques de maiores proporções em mais de 10 anos de guerra, subiu para 165. Para mais informações leia a matéria divulgada recentemente Bagdá é novamente atacada pelo Estado Islâmico. Houve uma grande explosão num bairro xiita, enquanto famílias faziam compras em um mercado bastante popular. Entre os feridos, estavam muitas mulheres e crianças. O ataque foi rapidamente reivindicado pelo Estado Islâmico (EI).



Desde 2007, Bagdá não enfrentava um ataque dessa propoção. O incidente ocorreu uma semana após as forças iraquianas capturarem a cidade de Faluja, na província de Al-Anbar, que é conhecida como a “cidade das mesquitas”, devido às mais de 200 mesquitas encontradas nas cidades e vilas vizinhas. Mas os frequentes combates já danificaram boa parte delas. Faluja estava em poder do EI desde o início de 2014 e servia de plataforma para o lançamento das bombas. De acordo com as forças de segurança iraquianas, os militantes estão buscando se vingar por suas atuais perdas durante essa guerra que parece interminável.

Para os cristãos que permanecem no país, o clima é bastante tenso. Eles vivem a maior parte do tempo dentro de suas casas. Não há previsão para o fim dessa guerra, por isso, a igreja iraquiana precisa se posicionar, mas também precisa de muita ajuda para isso.

Fonte: Portas Abertas



Publicidade
2017 © Todos os direitos reservados a Editora Central Ltda - JORNAL AVIVAMENTO
Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.
Política de Privacidade   |   Termos de Uso